Caneta e Papel

(com qualquer ou nenhuma inspiração.)

‘Concurseiro’ é realmente um sujeito diferenciado. Não: concurseiro é o sujeito que busca se diferenciar dos demais. Pra mim, concurseiro, na verdade, é um sujeito que quer um objetivo na vida e não mede esforços para isso.

Com o passar da vida de concursos, vamos aprendendo que existem 4 níveis de ‘concurseiros’. Todo mundo sonha com o 4º maravilhoso nível, que não é impossível. Mas se tirarmos por baixo os esforços pra alcançar o 2º patamar, não fica difícil imaginar a ‘pedreira’ que é chegar ao último. Meu irmão já está no 4º nível (também, pudera: anos e anos de estudos e um condicionamento e disciplina que me assustam, mas que me seve de espelho constante). Já eu, a duras penas, estou no 2º nível (aquele em que você estuda tudo e só metade cai na prova… se não estou enganada.) tentando bravamente chegar ao patamar do ‘já ter conhecimento sobre tudo que pede um edital’.

Muita gente diz que estudo muito. Mas a realidade é que meus estudos não são, nem de longe, o ideal de um bom concurseiro. Conheço pessoas que não largam os livros e todo e qualquer momento vago é ocupado com leitura, exercícios, resoluções de provas, fora os cursinhos. O meu relógio trabalha um pouco mais arrastado, mas tem engrenado. Em 2005, passei em quase todos os concursos que fiz (e só não fui chamada no que mais queria e pagava melhor, enfim..). De lá pra cá, venho batalhando patamares maiores. E isso significa esforços maiores. É difícil, mas sou concurseira por ter um objetivo.

Claro, tenho meus limites e não avanço além deles. Por exemplo: não consigo estudar 08 horas seguidas de jeito nenhum. É enfadanho, cansativo, minha coluna reclama e, ao invés de ajudar, só tende comprometer aquilo que absorvi. Cresci tendo facilidade de aprendizado, sem precisar me matar de estudar. Ponto pra mim. Porém, sou absurdamente indisciplinada e isso me desfavorece de longe. Todo dia é uma briga interna que ninguém faz idéia.

No entanto, é como estive pensando no domingo, quando me deu uma vontade louca de ir ao cinema, e me vi com 4 livros e um caderno ao redor, com umas 30 questões pra resolver e resumir: todo esforço será recompensado!

Ou, como dizia Ayrton Senna:

Se você quer ser bem sucedido, precisa ter dedicação total, buscar seu último limite e dar o melhor de si mesmo.

p.s.: Todo esse perrengue porque quero uma vaguinha no Tribunal de Contas. O que dizer quando for tentar a Auditoria Federal? 😯

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: